Curiosidades filatélicas e outras acerca do aeródromo de São Jorge

Foi reativada recentemente a página Aeroporto de São Jorge na rede social Facebook. Na verdade, esta página ‘voltou a voar’ muito recentemente, partilhando alguns artigos filatélicos de interesse sobre a certificação e abertura desta infraestrutura (SJZ) ao tráfego comercial.

Partilhamos, nesta circunstância, alguns apontamentos que julgamos de importância para um melhor conhecimento da história deste aeródromo, reproduzindo primeiro, com a devida vénia, as etiquetas das peças filatélicas em causa, seguidas das imagens respetivas. Depois, acrescentaremos, em relação a cada uma, alguns elementos adicionais de informação que julgamos de interesse, embora necessariamente sintéticos:

Antes do voo inaugural a 23 de Abril de 1983 foi feito um voo de certificação, a 20 de Abril. “O voo, sob o comando do Comandante Tércio, partiu do Aeroporto das Lajes – por isso tem a marca postal respectiva – com destino a S. Jorge e, por isso, consta do verso do envelope a marca postal das Velas. A atestar a circulação efectiva a bordo do avião, figura na face do envelope a assinatura do comandante Jorge Tércio Freire.

104587773_10213747729765894_7061206497290765667_n

Fonte: Texto e selos de RMC

Ora, o avião que efetuou o voo de certificação a 20 de abril foi o (Hawker Siddeley/Avro) HS-748-2A, CS-TAH, da SATA, sendo o PNT (Pessoal Navegante Técnico) desse voo constituído pelos Cmdtes. Jorge Tércio Freire e António Rendeiro. Esse voo teve origem nas Lajes (TER) e seguiu para a Horta (HOR), conforme consta dos elementos inscritos, naquela data, no diário de navegação da aeronave em causa: TER-SJZ (10:10-10:45); SJZ-HOR (16:25-16:52). As horas indicadas são de partida e de chegada aos calços!

No ato inaugural, ocorrido a 23 de abril de 1983 (dia de São Jorge, patrono da Ilha), estiveram presentes em SJZ dois aviões da SATA (CS-TAO e CS-TAG), tendo  o equipamento mencionado em primeiro lugar transportado as principais autoridades. E o PNT referido confere: Cmdte. Jorge Tércio Freire e Of. Pil. Adelino Dias. Um destes aviões saiu dos calços em SJZ às 17:38, tendo feito calços nas Lajes às 18:12, de onde partiu depois para PDL (Ponta Delgada).

Uma particularidade interessante associada à inauguração deste aeródromo reside na circunstância de se ter seguido à cerimónia um almoço (de sopas do Espírito Santo), servido não apenas às entidades, mas a todas as pessoas que estiveram presentes na mesma.

Os voos comerciais iniciam a 25 de Abril de 1983 com o 1.º Voo Comercial SP531, a realizar a ligação entre o Aeroporto das Lajes e S. Jorge, e regresso no mesmo dia. Este voo foi realizado pelo Comandante Rogério Lopes. No verso de cada envelope foram apostos os carimbos dos CTT nas estações de chegada.

103477697_10213747729165879_5264783266940562007_n

104459186_10213747728605865_799670185160275816_n

Fonte: Texto e selos de RMC

Inicialmente, esta infraestrutura possuía uma faixa de aterragem de 1200 x 30m, com duas cabeceiras operacionais (orientação magnética 13-31), bem como uma plataforma de 100 x 60m destinada ao estacionamento de aeronaves e situada do lado ar da aerogare, cuja área coberta atingia os 835m2, sendo idêntica, na sua configuração, às construídas inicialmente nas ilhas do Pico, Graciosa e Flores (mas tal como esta, sem torre de informação incorporada, que funcionava em instalação separada, construída especificamente para o efeito). Embora a intenção de construir uma pista de aterragem em São Jorge remonte a 1963, a primeira deliberação do governo sobre a sua construção data de 3 de agosto de 1979, sendo já então da responsabilidade do Governo Regional dos Açores.

Oportunamente, voltaremos às obras de melhoramento realizadas em SJZ em anos mais recentes.

_______

Nota: Neste artigo não fazemos qualquer distinção semântica entre aeroporto e aeródromo.

Publicado por Ermelindo Peixoto

Professor Universitário: Universidade dos Açores

%d bloggers like this: