Dia Mundial da Terra

Celebra-se hoje o Dia Mundial da Terra.

Sete Cidades – foto da autora

Vários líderes mundiais compartilharam mensagens a propósito deste dia, entre os quais o Secretário Geral da ONU, António Guterres, alertando para os efeitos da mudança climática e apelando à ação.

O nosso Primeiro-Ministro, António Costa, colocou nas redes sociais uma mensagem simples e direta, em que dizia: “O tempo urge. A emergência pandémica não fez desaparecer a emergência climática. Que o Dia da Terra inspire outros a passar à ação em prol de um mundo mais saudável e sustentável.” (Twitter, 06:51 AM Apr 21 – 2021).

Mas, a mensagem principal que trago aqui, sobre este dia, vem de uma florista, que me enviou o seguinte e-mail, logo pela manhã:

Hoje é o Dia da TerraJuntamo-nos hoje para ajudar a combater as mudanças climáticas e aumentar a consciencialização sobre as questões ambientais. Aqui estão cinco pequenos passos pelos quais todos podemos trabalhar para ajudar a proteger o nosso planeta.

Trata-se de uma empresa online, a quem já fiz duas ou três encomendas e que se posiciona como “the UK´s most ethical florist”, usando o slogan “you buy flowers, we plant trees”.

Diga-se que é uma estratégica de marketing bem aplicada por quem vende flores numa sociedade como a britânica, que valoriza ter flores frescas em casa, mas que, simultaneamente, vai ganhando uma consciência ecológica muito forte, sobretudo nas classes mais jovens, instruídas e com bons rendimentos.

Porquê, então, citar uma florista inglesa, em vez de refletir sobre as políticas ambientais de uma organização como a ONU ou sobre os programas de redução do CO2 dos governantes nosso País?

Sendo uma comunicação de promoção de um produto, o marketeer captou bem os valores do seu público alvo na enunciação dos cinco passos para ajudar a proteger o ambiente. Estes passos traduzem a atitude da nova sociedade urbana e informada dos países mais desenvolvidos. E, como sabemos, as mudanças culturais começam no seio de elites, cujos valores e comportamentos passam a ser adotados pelas massas, vindo a integrar as convenções sociais.

Vejamos, pois, os cinco passos recomendados pela florista, numa tradução livre e sem referência às marcas:

COMPRE COM INTELIGÊNCIA: tal como nós [a florista em causa], há imensas marcas maravilhosas que oferecem produtos sustentáveis e amigos do ambiente. [A, B, C e D] são algumas marcas que adoramos. Use o seu poder de compra.

VIAGE RESPONSAVELMENTE: sempre que puder, viaje de forma sustentável.  A pé, de bicicleta ou partilhe o automóvel, de modo a reduzir a pegada ambiental. Para nós, reduzir o tamanho das caixas de transporte das flores significou que já poupamos 833,260 milhas e também já introduzimos carrinhas elétricas com emissões-zero, para as nossas entregas.

USE A SUA VOZ: influencie ativamente as pessoas ao seu redor, partilhando a sua aprendizagem e os seus pontos de vista com a família e os amigos. Siga-nos nas redes socias para ajudar a divulgar uma mensagem positiva.

REDUZA O CO2: coloque plantas no interior da sua casa para ajudar a converter o CO2, purificando o ar e limitando as chamas abertas, ou considere reduzir ou mesmo evitar o consumo de carnes vermelhas, uma vez que estas contêm a mais elevada pegada de carbono. Por cada encomenda efetuada esta semana, plantaremos 10 árvores de manguezal no nosso local dedicado em Madagáscar. Cada manguezal remove, por ano, 12kg de CO2 da atmosfera, significando que, cada vez que envia um presente de flores, também irá remover cerca de 123kg de CO2 da atmosfera, por ano.

RECICLE, REDUZA E REUTILIZE: sempre que possível recicle os seus artigos, reutilize ou dê-lhes uma nova funcionalidade, procurando reduzir a quantidade de lixo que produz. O nosso sistema fechado de reciclagem significa que reciclamos todos os nossos desperdícios vegetais para criar todo o nosso papel de embrulho.

Recorde-se que o Dia Mundial da Terra, celebrado a 22 de abril, foi criado em 1970, pelo senador norte-americano Gaylord Nelson, que organizou um protesto contra a poluição da Terra, depois de verificar as consequências do desastre petrolífero de Santa Barbara, na Califórnia, ocorrido em 1969.

Hoje, o foco principal é reduzir as emissões de CO2, prevenindo o aquecimento global e, consequentemente, as alterações climáticas, com efeitos nocivos para toda a vida na Terra.

Felizmente, as nossas ilhas são o paraíso em termos ambientais. Vêm-se, porém, comportamentos que, na atualidade, são considerados reprováveis e cujos efeitos nos chocam, a nós que vivemos cá e mais ainda os turistas que nos visitam. Lixo, nomeadamente embalagens plásticas, nas nossas lagoas, nos nossos trilhos, à beira-mar. Na linda lagoa das Sete Cidades, há poucos dias, quando obtive a foto que partilho, sobre uns juncos da margem a caminho da Península, havia garrafas plásticas a boiar. É preciso usar a nossa voz…

Publicado por Ana Azevedo

Profissional da Aviação

%d bloggers like this: